Estimulação de Coluna

Estimulação de Coluna

FIGURA EXEMPLO DE NEUROESTIMULAcAO

A estimulação medular ou implante de eletrodo medular é um dos métodos mais utilizados no tratamento da dor crônica de difícil controle. O procedimento deve ser realizado por médico com experiência na seleção, programação e realização do procedimento(neurocirurgião Funcional).

Os estudos mostram que quando realizado em condições ideais esta técnica pode trazer alívio da dor em  60-70% dos casos de dor com redução da medicações analgésicas e melhora na qualidade de vida.

Está técnica de neuromodulação consiste na liberação de estímulos elétricos em região específica da medula que causa modificação na atividade do sistema nervoso, minimizando a sensação de  dor que chega ao cérebro e assim  bloqueando a sensação dolorosa no sistema nervoso central. Os estímulos elétricos são realizados através de um pequeno eletrodo instalado no espaço epidural(espaço entre o osso da coluna e a dura-máter, membrana que envolve a medula). Este eletrodo recebe os estímulos por um neuroestimulador implantado em região subcutânea.

As principais indicações de implante de eletrodo medular são as seguintes:

– Dor neuropática secundária à radiculopatias cervicais e lombares(Ex: dor que persiste após retirada de uma hérnia de disco)

– Síndrome pós-laminectomia: dor que persiste após intervenção cirúrgica na coluna . Nestes casos a estimulação de coluna é preferível à uma segunda intervenção cirúrgica.

– Dor anginosa: pacientes com angina secundária à doença isquêmica crônica do coração, que persistem com dor mesmo após a cirurgia de revascularização.

– Dor por isquemia periférica: dor que persiste em membros com isquemia mesmo após a cirurgia de revascularização. Neste caso sabe-se que a estimulação medular aumenta a irrigação sanguínea no membro estimulado, causando alívio da dor pela falta de sangue arterial

– Síndrome de dor complexa regional: consiste em uma síndrome de dor neuropática(ver na sessão dor neuropática para maiores detalhes)associada a sintomas de edema, vermelhidão, inchaço no membro acometido. Ë uma das soenças que melhor responde à estimulação de coluna/medular

– Dor abdominal crônica intratável clinicamente: por exemplo, após pancreatite crônica.

– Dor neuropática de uma forma geral: ver sessão de dor neuropática

– Neuropatias traumáticas

– Neuropatia diabética

– Lesão do plexo braquial incompleta

– Lesão medular traumática

Vantagens do método:

A estimulação medular para o tratamento da dor é procedimento já realizado há mais de 50 anos e largamente aceito como eficaz na comunidade médica. Apresenta a vantagem de ser procedimento relativamente simples e pouco invasivo. É também um procedimento reversível, ou seja, não causa lesão ao tecido nervoso e pode ser removido a qualquer hora em caso de ausência de beneficio ao paciente.

A técnica cirúrgica:

É de fundamental importância a realização de teste para verificação da eficácia do eletrodo ates do implante do neuroestimulador em definitivo. Este teste é feito com uso de um gerador externo acoplado ao eletrodo medular e pode durar de 7 à 21 dias , a depender dos resultados e da certeza do paciente da melhora com a terapia.

A estimulação medular provoca uma sensação de estimulação geralmente prazerosa para o paciente e deve cobrir exatamente a área dolorosa acometida pela dor. A partir daí se inicia a avaliação objetiva e subjetiva pelo médico assistente e pelo paciente do grau de melhora da dor com a terapia. Geralmente a recomendação de um implante definitivo se faz se o paciente relata ao menos melhor de 50% da intensidade do seu quadro doloroso.

O implante do eletrodo pode ser realizado de 2 maneiras, a primeira chamada técnica percutânea é feita através de uma punção com agulha em espaço peridural e passagem do eletrodo em forma cilíndrica. A segunda técnica envolve a realização de uma pequena incisão cirúrgica com passagem de um eletrodo em placa. Cada técnica apresenta vantagens e desvantagens e deve ser discutida com seu médico assistente

FIGURA EXEMPLO DE NEUROESTIMULAcAO

FIGURA: EXEMPLO DE NEUROESTIMULAÇÃO

Novas indicações e perspectivas para a estimulação medular:

A tecnologia dos eletrodos para implante medular vem evoluindo rapidamente, com sistemas contendo um numero cada vez maior de contatos , o que permite maior chance de estimulação, bem como novos geradores mais duráveis, recarregáveis e até mesmo sistemas à prova de Ressonância. Novas formas de estimulação também vem sendo descritas o que abre a possibilidade de variação da estimulação (estimulação  em alta frequência)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *