Dor Neuropática

Dor Neuropática

dor neuropática dr. tiago freitas

A dor neuropática constitui um dos tipos mais frequentes de dor crônica e é causada pela lesão dos nervos(lesão nervosa), podendo acontecer no sistema nervoso periférico (nervos periféricos) ou no chamado sistema nervoso central(medula e encéfalo).

Embora a dor aguda seja um sintoma de proteção do nosso organismo, a dor neuropática não serve para este propósito, constituindo por si só uma doença. O paciente acometido de dor neuropática apresenta geralmente dor crônica e de difícil controle.

Sintomas da dor neuropática

Muitas vezes o paciente “perambula” por diferentes consultórios sem diagnóstico, uma vez que a dor neuropática apresenta-se como sensações subjetivas de dor tipo queimação, choque, fincada, dormência, “trovoada”, “dor como se tivesse um espinho “, dentre outras sensações descritas pelos pacientes por ela acometidos. Há também mudança de sensações no local acometido pela dor , como pro exemplo: dor ao simples toque do membro acometido(alodínea), e mesmo áreas de diminuição de sensibilidade associadas à dor(anestesia dolorosa).

Como causas comuns de dor neuropática podemos citar:

  1. Lesões de nervos periféricos:

– Traumas ou compressões da medula e dos nervos periféricos: fratura de membros com lesão de nervos , ciática, radiculapatias, síndrome do túnel do carpo

– Condições pós-cirúrgicas: dor que persiste após cirurgia de coluna(ver Síndrome pós-laminectomia)

– Amputações

– Infecções virais: herpes zoster, HIV

– Infecções bacterianas: hanseníase

– Diabetes mellitus

– Doenças reumatológicas: artrite reumatóide, poliarterite nodosa

– Medicamentos: por exemplo quimioterapias no tratamento do câncer

– Neuropatia alcoolica

– Lesões das raízes nervosas por doenças da coluna

– Invasão de nervos por lesões de câncer

  1. Lesões do sistema nervoso central

– Pacientes com lesão medular por trauma(acidentes com lesão de medula)

– Pacientes com Acidente Vascular Cerebral (AVC)

– Pacientes com traumas cranianos

– Tumores cerebrais e medulares

– Esclerose múltipla

A síndrome de dor complexa regional, antiga causalgia/distrofia simpático reflexa constitui um segmento especial de dor neuropática, pois nesta síndrome , além dos sintomas de dor neuropática o paciente apresenta sinais de acometimento do chamado sistema nervoso autônomo: inchaço no segmento acometido pela dor, alterações de temperatura, alterações de coloração de pele e perda de fâneros(pelos), evoluindo em casos avançados com atrofia muscular local.

Tratamento

Veja os Procedimentos de Neuromodulação para Tratamento dor

O prognóstico e tratamento da dor neuropática depende da causa e dos sintomas. O tratamento da causa deve ser prioridade para evitar maiores lesões nervosas. A seguir o tratamento dos sintomas de dor é sempre feito de maneira inicial com uso de tratamento multidisciplinar , se possível em um grupo de tratamento de dor, envolvendo medicações ( anticonvulsivantes e antidepressivos que regulam a transmissão da dor feita pelo nervo lesado), psicoterapia, fisioterapia, acupuntura, bloqueios periféricos.

Quando o tratamento inicial é inefetivo ou o paciente não consegue tolerar o efeito das medicações a neuromodulação é indicada, sendo a estimulação medular e a estimulação de nervos periféricos as melhores opções iniciais

Para os casos de dor central a estimulação cerebral profunda e a estimulação de córtex motor podem ser utilizadas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *