Dor Crônica de Coluna

DOR CRÔNICA DE COLUNA

Cerca de 80% da população mundial experimentará pelo menos 1 episódio de dor na coluna durante a sua vida(ref.). 

Quando a dor apresenta duração menor que 3 meses ela é classificada como “dor aguda”e após este período pode ser denominada dor crônica de coluna.

Assim como qualquer quadro de dor a dor na coluna deve ser tratada de maneira multidisciplinar, pois pode ser influenciada por fatores físicos, psicológicos e sociais.

Figura de dor lombar(paciente com dor lombar)

Existem diversas causas de dor, desde alterações degenerativas até doenças reumatológicas. Abaixo fornecemos algumas causas mais comuns de dor na coluna e que podem ser tratadas:

DOR DISCOGÊNICA

Esta condição dolorosa é causada pelo “desgaste”ou degeneração do tecido que normalmente atua como um “ amortecedor “ entre as vértebras da coluna. Esta degeneração é um processo natural do envelhecimento da coluna mas em alguns pacientes pode causar dor.

Sintomas: A dor caracteriza-se classicamente por dor na região central da coluna, podendo atingir as regiões cervicais, torácica ou lombar, sendo mais frequente nas regiões cervical e lombar. A dor piora com os movimentos de flexão, rotação e com a posição sentada prolongada, melhorando na posição deitada. Alguns pacientes cursam com dor também nos membros, que pode estar associada à sensação de dormência/formigamento.

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

DOR FACETÁRIA

Constitui uma das causas mais comuns de dor na coluna, sendo causada pela degeneração/envelhecimento das articulações da coluna vertebral(artrose), localizadas na região posterior da mesma e responsáveis pela movimentação da coluna. 

Sintomas: a dor causada pela degeneração das articulações facetarias depende da localização do problema. Na coluna cervical a dor pode se refletir no pescoço, ombros, trapézio e causar até mesmo dor de cabeça(na região nucal e posterior da cabeça). NA coluna lombar a dor pode atingir a coluna, principalmente nas regiões laterais/para-vertebrais, mas também localizar se nas nádegas e  região posterior da coxa

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

ESPONDILOLISTESE

Nesta condição dolorosa ocorre um “escorregamento”de uma vértebra da coluna sobre a outra devido à lesão/enfraquecimento das estruturas ósseas, ligamentares e articulares da coluna. Este escorregamento pode ser  degenerativo ou causado por lesões traumáticas. Os sintomas incluem dor e alterações de sensibilidade(formigamento) em membros inferiores e pés causada pela compressão do nervo devido ao escorregamento da coluna

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

CANAL ESTREITO

O canal estreito é também um condição degenerativa. Consiste na redução do espaço do canal espinhal devido à crescimento ósseo e de partes moles(espessamento das articulações) da coluna . Quando o estreitamento é muito severo ocorre compressão dos nervos da coluna causando dor , formigamento e dormência que pode se estender desde a região lombar atingindo os membros inferiores e pés. A dor geralmente piora com o ato de caminhar e melhora com o repouso e outras condições dolorosas(fenômeno chamado de claudicação neurogênica) e  outras causas de dor devem ser excluídas do diagnóstico diferencial(por exemplo isquemia de membros inferiores)

Figura canal estreito(anexo)

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

RADICULOPATIA CERVICAL/HERNIA DISCAL 

A medula espinhal saem os nervos responsáveis pela inervação de todo nosso corpo.  A parte do nervo que se conecta com a medula é chamada de raiz nervosa. Se uma destas raízes é lesada ou comprimida pode haver DOR, fraqueza muscular, formigamento e parestesias no trajeto do nervo, configurando o que chamamos de radiculopatia.

As causas mais comuns de radiculopatia são a hérnia de disco e as doenças degenerativas de coluna causando estreitamento do orifício de saída das raízes e levando à compressão das mesmas

No caso da coluna cervical os nervos que saem da medula espinhal são responsáveis pela inervação da região cervical e dos membros superiores. Sendo assim quando uma raiz cervical é atingida pode desencadear sintomas de dor , fraqueza, formigamento em região cervical, ombro , braço e mão. 

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

Hérnia de disco na lombar : RADICULOPATIA LOMBAR(CIÁTICA)

A medula espinhal saem os nervos responsáveis pela inervação de todo nosso corpo.  A parte do nervo que se conecta com a medula é chamada de raiz nervosa. Se uma destas raízes é lesada ou comprimida pode haver DOR, fraqueza muscular, formigamento e parestesias no trajeto do nervo, configurando o que chamamos de radiculopatia.

As causas mais comuns de radiculopatia são a hérnia de disco e as doenças degenerativas de coluna causando estreitamento do orifício de saída das raízes e levando à compressão das mesmas

No caso da coluna lombar os nervos que saem da medula espinhal são responsáveis pela inervação das pernas e região lombar. Sendo assim quando uma raiz lombar é atingida pode desencadear sintomas de dor , fraqueza, formigamento em região lombar, nádegas, pernas ou nos pés. Essa dor é usualmente chamada de ciática

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

SACRO-ILÍACA: SACRO-ILEITE DEGENERATIVA 

A articulação sacro-ilíaca localiza-se logo abaixo de todo o esqueleto da coluna e é responsável por cerca de 15-20% de todas as dores de coluna na região lombar. Apresenta alguns aspectos particulares , atingindo mais a região de nádegas/lombar baixa, podendo se irradiar para a coxa. A dor também costuma piorar na posição sentada prolongada e melhorar nas posições de pé ou deitada

A inflamação da articulação sacro-ilíaca(sacro-ileíte) pode ser desencadeada por doenças reumatológicas(artrites) ou por degeneração da articulação

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

HÉRNIA DE DISCO

Os discos intervertebrais são estruturas responsáveis pela absorção do impacto na coluna , suportando especialmente as cargas /pesos dos ossos da coluna e permitindo a movimentação normal da mesma. Os discos intervertebrais são compostos de duas partes : uma parte central mole(núcleo pulposo) e uma parte fibrose periférica chamada de ânulo fibroso)

A hérnia do disco ocorre quando um pequeno fragmento do núcleo “transborda” da região central do disco atingindo a região do ânulo fibroso. Esse fragmento de disco “herniado” frequentemente é responsável pela compressão de uma raiz nervosa , cauusando dor, queimação,  dormência e formigamento na região da coluna lombar e principalmente dos membros inferiores(pernas e pés). A dor geralmente piora com a flexão da coluna, com os movimentos de giro da coluna e melhora no repouso e na posição deitada

A ruptura do disco intervertebral pode ser causada pela degeneração evolutiva da coluna ou por trauma

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

SÍNDROME PÓS-LAMINECTOMIA

Também chamada de “síndrome do insucesso espinhal”consiste um quadro de dor contínua, crônica e geralmente de difícil tratamento , em pacientes submetidos à realização de cirurgia de coluna .

Pode ser causada pela cicatrização/escara nas regiões de articulação ou nas próprias regiões  manipuladas na coluna. Caso a cicatriz ocorra sobre uma raiz nervosa pode haver dor neuropática

Os sintomas incluem dor tipo choque, formigamento, queimação, latejamento, pulsante, latejante, na região de coluna cervical ou lombar a depender do local da cirurgia. Pode atingir também região de nádegas, coxas, pernas e até mesmo sensação de fincadas/agulhadas nas pernas e pés

Figura (em anexo)

Ver Tratamento minimamente invasivo para dor de coluna

SÍNDROME DA ACELERAÇÃO-DESACELERAÇÃO CERVICAL(CHICOTE)

A síndrome do chicote, também chamada de Síndrome de Aceleração-Desaceleração é uma injúria da coluna cervical que pode ocorrer em acidentes de carro, quedas ou esportes de contato. Ela resulta de um movimento rápido de hiperflexão e hiperextensão da coluna cervical nestes acidentes, o que leva à movimentaçãoo excessiva da coluna cervical e lesão potencial de estruturas musculares , articulares e ligamentares 

Os sintomas podem ocorrer imediatamente após a lesão ou alguns dias depois, incluindo dor  em cervical posterior, trapézio, dor de cabeça, tonturas e até mesmo dor me região de ombros e membros superiores